Você está aqui: Página Inicial / Comunicação / Notícias / Comissão de Educação defende permanência da EJA

Comissão de Educação defende permanência da EJA

por Ludmila última modificação 27/06/2017 11h01
Reunião, no Plenário da Câmara, deu voz a diversos atores da Educação

Neste mês, uma atitude polêmica da Prefeitura de Angra causou manifestações de alunos e professores: a retirada da Educação de Jovens e Adultos de algumas unidades municipais de ensino.

Para ouvir os diversos atores da Educação sobre o tema, a Câmara Municipal de Angra dos Reis, por meio da Comissão de Educação, promoveu uma reunião, na última quinta-feira, dia 23, no Plenário Presidente Benedito Adelino. O debate foi conduzido pelos vereadores Gedai (presidente da Comissão de Educação) e Titi Brasil (vice-presidente).

Para o vereador Gedai, um dos principais problemas causados pela extinção da EJA de algumas escolas tem relação com a segurança pública.

- Em alguns bairros, existe o problema de guerra de facções e, por este motivo, muitos alunos podem ter que parar de estudar por medo do risco que podem correr. Precisamos garantir a segurança de nossos estudantes - ressaltou Gedai.

Segundo informações da Secretaria de Educação, a primeira turma a ser fechada foi a da Vila do Abraão, na Ilha Grande. A unidade tinha 30 alunos matriculados, que deixaram de ser atendidos, visando à contenção de despesas no município.

Diante da exposição, o professor José Roberto Portela argumentou que a economia que a cidade fará com o fim da EJA não resolverá os problemas financeiros enfrentados.

- A educação é um direito assegurado pela lei e a EJA tem tradição na cidade, porque é uma forma de aqueles que não podem frequentar as aulas regulares concluírem seus estudos - defendeu o professor José Roberto Portela.

Segundo a secretária de Educação, Stela Salomão, esta economia é necessária para terminar o ano com o salário em dia, equilibrando o orçamento.

- Se não cortarmos alguns gastos agora, não poderemos equilibrar o orçamento para que nossa educação volte a ser de excelência no futuro - explicou Stella.

Outra questão levantada na reunião foi a retirada das matérias Leitura e Produção Textual (LPT) e Espanhol da grade curricular.

De acordo com a vereadora Titi Brasil, a luta por uma Educação de qualidade está apenas começando.

- Tivemos uma reunião muito proveitosa, onde pudemos apresentar nossa preocupação com a retirada de Educação de Jovens e Adultos de algumas unidades de Educação de nossa cidade. Enquanto vereadores e Comissão de Educação, estamos fazendo a nossa parte. Os alunos podem contar com nosso apoio nesta luta por uma educação de qualidade para todos - avaliou a vereadora Titi Brasil.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.